sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

Marmitas - Uma semana a comer sempre a mesma coisa?


Ontem ao almoço na cantina da empresa falávamos sobre marmitas e o quão difícil é manter este hábito (mais saudável e económico) e ter ideias para umas refeições variadas e saborosas. Todas com vidas diferentes e hábitos alimentares distintos...
Ora porque uma não gostava de cozinhar, ora porque passava muito tempo em viagem entre o trabalho e casa o que acaba por tornar desgastante o dia a dia, ora porque não há microondas disponível na zona do almoço, ora porque não lhe sabe bem comer as sobras do jantar ou comida fria; há sempre uma razão para tornar este processo mais doloroso do que ágil. 
A verdade é que mesmo que nem sempre consideremos válidas as razões dos outros devemos  perceber que as marmitas como outra qualquer rotina tem o seu processo de adaptação e há quem realmente tenha motivação e faça um esforço extra, mas também há quem fique pelo caminho por variadas razões e não tenha mesmo possibilidade de fazer disso um hábito.

Neste assunto, como nas dietas, ou na alteração de hábitos alimentares não há receitas milagrosas e se houver deixo-as para os verdadeiros entendidos no assunto. Mas há dicas que por vezes funcionam e conseguimos adaptar à nossa rotina diária. 

Portanto partilho com vocês as que considero importantes (no meu ponto de vista) e que para mim funcionam.

Escolher os dias para preparar (o básico) das marmitas
Para não se estar dependente das sobras do jantar do dia anterior o ideal é escolher um ou dois dias da semana para preparar algumas bases para qualquer prato: arroz, quinoa, trigo sarraceno, massa (para conservar a massa o que faço é: depois de cozer passo por água fria e escorro bem, guardo num recipiente com um fio muito generoso de azeite, uma pitada de pimenta e oregãos, assim sabe-me sempre bem, aquecida ou fria), legumes salteados, grão-de-bico salteado com tomate e cebola (é muito muito bom e sabe bem com qualquer coisa). Podem também preparar húmus que é um óptimo acompanhamento de saladas frias ou quentes. Eu diria que domingo e quarta-feira são os dias ideais para esta tarefa para conseguir ter pratos mais frescos e mais saborosos.

Escolher um dia para fazer as compras da semana ou do mês
No meu caso o dia para fazer as compras da semana é ao sábado ou domingo de manhã e na realidade as marmitas não foram a razão para que ganhasse esta rotina. As razões eram simples: se saía do trabalho e ia às compras durante a semana comprava sempre coisas que não precisava e optava sempre pelos alimentos menos saudáveis; não conseguia gerir o orçamento, ou seja, não conseguia prever quanto gastaria por mês em compras de supermercado; não fazia uma lista prévia porque ia quando calhava e acabava por me esquecer de coisas essenciais (às vezes das próprias coisas que me levavam a ir ao supermercado); e muito importante, gosto de fazer as minhas compras com muito tempo, ou seja de ter oportunidade de comparar marcas, ingredientes e preços. 
Se tiverem na dispensa sempre o básico para "desenrascar qualquer coisa", nem que seja um salteado de fusilli integral com tomate cereja (tenho sempre congelados por exemplo) e uma ervas aromáticas a probabilidade de falharem é muito reduzida.

Optar por comidas simples e práticas
Meus amigos, não há paciência nem disposição para fazer um risotto mega elaborado ao domingo à noite para levar ao almoço de segunda certo? A não ser que seja para o jantar de domingo também...
Por isso, o ideal é optarem por receitas leves e práticas. Os salteados para mim são a melhor opção mas imaginem que têm no frigorifico: arroz, legumes assados no forno (que podem fazer em grande quantidade ao domingo), queijo feta ou outro queijo, salada, sobras de carne ou peixe, cogumelos salteados, etc. Podem tirar uma porção de diferentes coisas, que até foram preparadas em dias diferentes, e fazer um óptimo petisco.
Neste tópico o meu melhor amigo é o Pinterest! Quando não há imaginação pesquiso os tópicos e só de olhar para as fotografias fico logo com apetite e ideias de pratos. Há centenas de receitas com 4 ou 5 ingredientes que podem ser preparadas até com dois dias de antecedência e que não exigem mais de 20-30 minutos de volta dos tachos. 
Mesmo eu que adoro cozinhar tenho imensos momentos sem imaginação, sem apetite e confesso que o Pinterest é o catalisador que me salva na cozinha imensas vezes. Imagino quem não goste de cozinhar...

Ter diferentes recipientes para cada tipo de alimentos e uma bolsa térmica
Isto pode parecer até demasiado óbvio de se dizer, mas principalmente para quem é mais vaidoso ou que preze organização isto faz toda a diferença! Ter uma bolsa gira e organizada é meio caminho andado para gostarmos de a passear todos os dias. Eu, culpada, me confesso!
Não é apenas uma questão estética, misturar salada com molhos e com outros alimentos normalmente não corre bem, não só os sabores acabam por se degradar como até os próprios alimentos. E ter uma bolsa, fácil de transportar, com divisórias para fruta, frascos (para levar iogurtes por exemplo), recipientes e talheres ajuda sem dúvida a tornar esta tarefa menos penosa. 

Molhos
Esta para mim deve ser uma das dicas mais preciosas! Eu, apesar de não adorar, não me importo de comer comida fria (dependendo dos pratos claro) mas tem obviamente que me saber bem. Por exemplo, arroz (branco seco ou integral) com legumes salteados à parte e atum em cubos ou ovo cozido é um prato que adoro, mas apenas se temperar com um molho de azeite, limão e salsa. Massa fria também só me sabe bem com molho pesto, ou com um abacate desfeito com azeite, ou com um ovo escalfado, ou com um molho de mostarda e mel (azeite, mostarda dijon e mel), ou com um molho tipo vinagrete (azeite, vinagre balsâmico e mostarda dijon), ou até com alguns legumes salteados (com azeite). Ou seja, levar um molho preparado num frasquinho à parte, que depois se adicione na hora da refeição para tornar a comida mais saborosa faz toda a diferença! 
Deixo aqui um post da Maria João sobre este assunto, que guardo com carinho no meu histórico e revejo dezenas de vezes: https://www.clavelskitchen.com/2014/05/o-que-importa-e-variar/
Abusar nos temperos (especiarias e não nos molhos processados) nas marmitas é sempre boa ideia!

Escolher o que preparar com antecedência
E com isto não quero dizer que devam escolher a ementa com uma semana de antecedência, mas também não deixem tudo para a última da hora. 
Devem pensar também no que gostam ou não de comer, ou seja, se nunca foram fãs de saladas com muita alface não façam pratos com muita alface para levar para o trabalho só porque é fácil de preparar, vão comer com sacrifício, vão ficar com vontade de optar por comer outra coisa que não o que prepararam e mais facilmente optarão por depois de almoço comprar um chocolate por exemplo.
Também não devem preparar a marmita em defeito ou em excesso, quero com isto dizer que deverão ter a noção da quantidade de alimentos que precisam de ingerir para se sentirem saciados de forma a que não fiquem com fome (e depois lá vão à máquina dos chocolates e das batatas fritas) mas também não estraguem.

Espero que estas dicas vos sejam úteis tal como me são a mim! E são-me úteis durante a semana toda, jantar, almoço e até mesmo pequeno-almoço.

Quanto às receitas vou partilhar (cada vez mais) com vocês as que eu mais gosto.
Qualquer dica extra partilhem comigo que também quero saber os vossos truques todos.

Beijinhos e até já!
Joana


Sem comentários:

Enviar um comentário


Copyright © Joana Ventura, Na Cozinha com a Joana